Total de visualizações de página

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Querido. Você tem a faca, o queijo e meu coração nas mãos...


Noite de lua mansa
Janela entre aberta
Joguei meu coração dilacerado
Na sacada de seu quarto

Pesso que não te assustes
Apenas tente compreender
Tal maltratado coração
Pois esta noite, novamente
Ô coloquei em suas mãos

Talvez o use como peso de papel
Talvez o esqueça em um canto qualquer
Talvez se lembre de cada batida
Que a tí ele dedicou

Quem sabe ele te faça voltar no tempo
Relebrar os bons momentos
Quem sabe você queira fazer revirar o passado
E cuidar das feridas abertas, ardidas
Que você deixou?!

Meu sincero perdão
Por te devolve-lo assim
Do nada e sem avisar
Não foi minha intenção te amedrontar

Só peço um tratamento condigno
Para um coração tão esfacelado
Imploro de joelhos, para que não o maltrate
Afinal apesar de tão duro e maltrapilho
Ele de mim faz parte e dentro dessa parte
A sua imagem ainda habita e arde

Mari Carazolli